sábado, 16 de maio de 2009

Doce ilusão...


Ora vivo com medo de morrer;
ora morro de medo de viver;
ora vivo me matando;
ora mato para sobreviver.
Mas ela me urdiu e em sua teia me enrosco;
tento escapar mas não pósso.
De minha libido um açoite.
Estou sóbrio e drogado pelo inocente cigarro q dividimos esta noite.
Do néctar dos teus lábios um beijo de nicotina;
ofego quase ébrio em teu ouvido: menina...
... tu és uma ilha de carne cercada de pecado e desejo.
Depois q acordo do sonho, vivo um pesadelo.
Sem mais ter o gosto do teu beijo, o que me restam são apenas minhas lágrimas como companheiras... resquícios de uma doce ilusão.

3 comentários:

Deise Anne disse...

Gostei desse! E nasce um poeta, hehe.

Fernanda Rebeca disse...

Lindo!amei

Daniela disse...

nossaaaaaaa é muito belo !!
tens o amor na sua alma!!
lindo é simplismente lindo!!